São capazes de comer insectos?

Todos sabemos que ingerir carne regularmente, e, até mesmo, peixe, vai, a médio/longo prazo, tornar-se insustentável para o nosso amado planeta. De facto, estudos recentes indicam que comer um quilo de vaca polui tanto como andar 150 Km de carro, e que o aquecimento global está à porta, pelo que, se não tomarmos medidas imediatas, corremos o risco de originar um colapso climático global.

Uma das alternativas proteicas que os cientistas estão a colocar em cima da mesa, é o consumo de insectos, nomeadamente de grilos, larvas, besouros, e, até mesmo, baratas. Naturalmente que, num primeiro momento, o sentimento de repulsa é transversal a todos nós, e, é por isso, que as marcas estão a investir em produtos fabricados a partir da farinha destes bichos, como barritas de cereais, massas, batidos ou biscoitos. Na Ásia, há milhares de anos que este tipo de alimentação é absolutamente normal, tanto que se estima que 28% da população mundial ingira, regularmente, insectos, que é como quem diz dois mil milhões de pessoas.

Pessoalmente, apesar de já ter tido várias oportunidades de experimentar, quer na China, quer no Myanmmar, confesso que nunca tive coragem. Não sei se pelas asas, se pelo aspecto viscoso, o facto é que, só de pensar em trincar uma barata ou um grilo, começo a ficar com náuseas. Nesta última viagem, ao perceber o meu interesse, uma senhora birmanesa agarrou num insecto e quase mo enfiou pela boca abaixo. Escusado será dizer, que quase “paniquei” (como dizia a outra), e fugi a sete pés, tendo deixado a plateia de passantes perdida de riso.

Seja como for, tenho a plena consciência de que este é o futuro alimentar do nosso planeta, e já há portugueses a aderir. A Portugal Bugs, loja online que se dedica à produção de alimentos com insectos, está quase a entrar no mercado, e a Glood já vende cerca de setenta unidades  por mês. Caso queiram experimentar, aqui ficam as sugestões da Chef Patrícia Borges, professora de cozinha na Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar, em Leiria, que tem testado receitas com larvas e gafanhotos. Eu ainda não estou preparada, mas deixo o convite, e peço aos mais corajosos para se acusarem: São realmente capazes de comer insectos? 

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*