Sete truques do pescador para grelhar peixe como no restaurante

Caros 5.75 leitores, como tive oportunidade de escrever neste post, tive a sorte de nascer numa família de (grandes) pescadores, pelo que, se há assunto de que entendemos cá em casa, é de peixe. Assim, e porque estamos na época do churrasco e do peixe grelhado, por ser um alimento super sensível,  deixo-vos alguns truques que o meu pai utiliza habitualmente, para que fique absolutamente perfeito, e mantenha a plenitude do seu sabor, na hora da grelha:

1. Frescura: Uma vez que o peixe grelhado não leva, praticamente, tempero, independentemente de ser do mar ou de viveiro, convém que seja super fresco, para que possamos usufruir, na integra, da sua textura e sabor. Caso tenha uns dias de frigorífico, o melhor é cozinharem-no de uma forma mais condimentada, para disfarçar a falta de frescura. 

2. CarvãoTal como a carne, também o peixe ganha um paladar excepcional quando grelhado no carvão. Por isso, se tiverem oportunidade, aproveitem, mas não esqueçam que este método, apesar de ser mais lento do que o grelhador eléctrico, acaba por compensar, e muito. Ah, e só devem introduzir o pescado quando o carvão estiver transformado em braseiro. Caso contrário, ficará esturricado por fora, e cru por dentro.  

3. Aquecer a grelhaPara manter a consistência, é essencial que a grelha seja previamente aquecida para selar a pele. Quando assado em lume baixo, o peixe acaba por ficar mole, e “sem graça.”

4. Pincelar com óleo vegetal. Não, não fiquem horrorizados, e não se preocupem, porque, desde que não abusem na quantidade, o pescado não vai ganhar mais calorias se o pincelarem, suavemente, com um pouco de óleo de girassol, antes de o colocarem na grelha. O grande objectivo deste pequeno truque é que a pele não cole, sendo mais fácil de virar. 

5. Salgar no momento certo. Para ganhar sabor, o peixe deve ser temperado com sal grosso, no mínimo, dez minutos antes de assar. Quando salgado na grelha, acaba por ficar insonso. Outra regra de ouro, é nunca usar sal fino, que, por ser mais difícil de controlar, normalmente, deixa os alimentos demasiado salgados. 

6. Não virar antes do tempo. Já ouviram aquela expressão: “Moída como uma cavala?”, que é como quem diz: “Quanto mais mexido for o peixe, mais mole fica?”. Este principio é, igualmente, aplicável à grelha. Os profissionais dos bons restaurantes assam o peixe, virando-o, apenas, um vez, para que mantenha a consistência, e fazem-no, somente, quando a pele começa a ficar tostada.

7. Golpear. Quando o peixe é assado inteiro, no caso de espécies de maior dimensão, como o pregado ou o linguado, é aconselhável dar, previamente, alguns golpes simétricos na horizontal, para que o lume entre, e fique bem cozinhado, como se pode ver na foto. 

Posto isto, 5.75 leitores, uma vez que o peixe é muito mais saudável do que carne, aproveitem os dias de Verão, convidem os vossos amigos, e organizem uma assada. Mas, para que fique perfeito, não se esqueçam destes pequenos truques, testados e comprovados, que fazem toda a diferença na hora de consumir o que de melhor o mar tem para nos oferecer. Palavra de #lobo.  

3 Comments

  1. Pingback: Cinco truques para grelhar carne como na Churrascaria – Lobo na Porta – Food & Travel

  2. Marcos Correia

    E qual o melhor tipo de grelha para o peixe escalado, longitudinal ou aos quadrados?

  3. Sergio

    Pela foto esse peixe teve tempo a mais na grelha ou mt próximo da brasa

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*