Cinco truques do pescador para congelar peixe (em) fresco

Caros 5.75 leitores, como tive oportunidade de escrever neste post, tive a sorte de nascer numa família de (grandes) pescadores, pelo que, se há assunto de que entendemos cá em casa, é de peixe. Assim, por ser um alimento super sensível, tenho recebido inúmeras mensagens de leitores com questões sobre a sua conservação, pelo que partilho, convosco, alguns dos truques que o meu pai utiliza para que, ao ser congelado, o pescado mantenha a frescura e o sabor:

1. Retirar as vísceras: À excepção dos peixes pequenos, como a sardinha, o peixe deve estar bem limpo de escamas e de vísceras. Por se deteriorarem mais rapidamente, as “partes moles” acabam por deitar mau cheiro  e originar a sua deterioração e perca de qualidade.

2. Congelar em fresco: O meu pai não se cansa de dizer, do alto dos seus cinquenta anos de carreira, que, ao ser congelado em fresco, quando consumido, o peixe “parece mesmo que foi acabado de pescar”, já que mantém, praticamente, 100% do sabor e da textura. Neste sentido, convém ser comprado num sítio de confiança, e colocado no frio, de imediato. Não adianta deixa-lo três ou quatro dias no frigorífico, antes da congelação. Vai ganhar mau cheiro, na certo.

3. Congelar em água com sal: Caso pretendam que mantenha aquele saborzinho a mar, encham, de água, uma caixa com tampa, adicionem uma mão cheia de sal grosso, mergulhem o peixe, e coloquem no congelador. Vão ver que mantém 99% da qualidade.  

4. A técnica do garrafão: Utilizada, sobretudo, para manter, durante o ano inteiro, a frescura da sardinha, este truque é espectacular, quando seguido à risca. Basicamente, consiste em encher, pela metade, um garrafão, de plástico, de cinco litros, com água e sal grosso, ou, preferencialmente, água do mar. Depois, é só ir colocando as sardinhas pelo gargalo, com jeitinho, uma a uma. Quando estiver cheio a 2/3, coloca-se a tampa, e guarda-se na arca congeladora. Acreditem que mantém o peixe fresco durante o ano inteiro. Nós, até em Dezembro comemos sardinhas assadas. Quem não tiver arca congeladora, pode recorrer a caixas de plástico. Fica bom, na mesma.

5. Descongelar à temperatura ambiente: Esqueçam o micro-ondas e outras invenções congéneres. Para ficar perfeito, o pescado deve ser descongelado lentamente, à temperatura ambiente, ou no frigorífico, caso esteja muito calor. Desta forma, conserva a textura e o sabor originais.

Posto isto, 5.75 leitores, na hora de congelar peixe, não se esqueçam destes truques muito simples, testados e comprovados, que fazem toda a diferença na hora de consumir o que de melhor o mar tem para nos oferecer. Palavra de #lobo.  

2 Comments

  1. Marco Almeida

    Tudo correcto excepto o 1° ponto, o peixe mesmo fresco deve ser congelado inteiro com escamas e visceras, se não o fizer o frio da congelação vai queimar e amarelar o peixe por dentro, ao congelar completamente inteiro o frio não entra em contacto directo com a carne mas sim com a escama que protege a carne, daí que depois de descongelado inclusive o sangue corre da guelra do peixe como se este fosse acabado de pescar.

  2. Matia de Fátima

    Gostei.

    Em que época do ano as sardinhas são congeladas para vender nos supermercados?

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*